9 de out de 2010

Nobel da Paz


                                                       

Preso no ano passado por subversão, Xiaobo foi laureado por sua luta pacífica pela democracia no país. Ex-professor de literatura, o dissidente de 54 anos foi condenado a uma pena de prisão de 11 anos por ter escrito, em 2008, em conjunto com outros ativistas chineses, um manifesto pela liberdade de expressão e pela realização de eleições multipartidárias.
"Ao longo dos últimos 30 anos, a China fez notáveis progressos em reformas econômicas e na melhoria da vida de seu povo, retirando centenas de milhões da pobreza”. "Mas este prêmio nos lembra que a reforma política não seguiu a mesma velocidade e que os direitos humanos básicos de cada homem, mulher e criança têm de ser respeitados.
A Anistia Internacional, além de vários outros organismos de defesa dos direitos humanos espalhados pelo mundo, engrossaram o coro e pediram que o dissidente seja libertado.
"Este prêmio só pode fazer uma diferença real se resultar em mais pressão internacional sobre a China para liberar Liu, assim como diversos outros prisioneiros de consciência apodrecendo nas cadeias chinesas por exercer seu direito de liberdade de expressão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário